Pular para o conteúdo principal

As Diversas Maneiras de Amar


Os casais possuem códigos que só tem significado para eles. Óbvio demais. Fundamentais, diria Roberto Carlos, o romântico. “...detalhes tão pequenos de nós dois...”

Para quem olha de fora é pagar mico como diz a gurizada hoje em dia. Para o casal, pequenas relíquias que compõem a história de uma vida.

Uma amiga distante, me conta ao telefone das estrepolias do marido, que está se bandeando para outro relacionamento, depois de um casamento de décadas.

- Resolvi desprezar mesmo. Não separo mais as asinhas da galinha que ele gosta de comer. Ele que se vire!

Se não a conhecesse tão bem, diria que estava brincando. Pequenas gentilezas, alimentos do amor, tomam um sentido enorme, quando do rompimento.

Há atitudes que substituem as palavras. Imagine a cena: Depois de duas semanas sem se ver, a mocinha pede ao namorado:

- Diz que me ama.

- Mas eu te mandei flores na semana passada - Responde o rapaz com ar de surpreso.

- Ué, e isso quer dizer que me ama - Surpreende-se ela.

- Claro que sim - Retorna ele.

Depois que o casamento entra na convivência propriamente dita, os sentidos captam as mensagens a quilômetros de distância. Nós mulheres, queremos que o parceiro diga que nos ama como no tempo do namoro. E eles ali, monossilábicos, quando muito. Somos mesmo exigentes. Nem nós dizemos eu te amo com a mesma freqüência de antigamente, mas é como se disséssemos todos os dias, sob a forma dos gestos de carinhos que reservamos para o amado. Eles também fazem a mesma coisa. Aguçando os sentidos, vemos que aquilo que nos tornou especiais aos olhos do outro, continua presente. Tanto que se incorporou ao nosso dia a dia e não percebemos.

Detalhes. Que tal uma overdose daqueles eu só o parceiro conhece, no próximo dia  12, dia dos namorados.

Comentários

  1. Como sempre uma grande observadora...

    Estou passando por problemas de saúde e o meu marido, mais do que eu podia imaginar, está me dando um grande suporte psicológico. Pergunta diária como "você está bem?" é como se valesse mil palavras de "eu te amo"...

    Cara Rackel, desculpe se tenho me ausentado seja aqui que lá no site, onde dividimos a alegria de ler e escrever. Tão pouco tenho lhe respondido aos comentários, que ingrata que sou. Espero melhorar o astral o mais rápido pra te fazer companhia. Um abraço forte forte!

    ResponderExcluir
  2. Querida Luma. Agradeço-te imensamente o prazer de tê-la aqui. De coração, um pronto restabelecimento para ti. Fica com Deus. Abraço fraterno.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Por favor, deixe aqui sua opinião sobre o texto.

Postagens mais visitadas deste blog

A métrica no poema e como metrificar os versos de um poema.

Texto publicado no site Autores.com.br em 25 de Novembro de 2009
Literatura - Dicas para novos autores Autor: PauloLeandroValoto
"Alguns colegas me abordam querendo saber como faço para escrever e metrificar os versos de alguns de meus poemas. Diante desta solicitação de alguns colegas aqui do site, venho explicar qual a técnica em que utilizo para escrever poemas com versos metrificados. Muitos me abordam querendo saber: - Como faço? - Como é isso? - O que é métrica? - Como metrifico os versos de meus poemas? - Quero fazer um tambem. - Me explique como fazer. Vou descrever então de uma forma simples e objetiva a técnica que utilizo para escrever poemas metrificados. Primeiro vamos falar de métrica e depois vamos falar de como metrificar os versos de um poema. - A métrica no poema: Métrica é a medida do verso. Metrificação é o estudo da medida de cada verso. É a contagem das sílabas poéticas e as suas sonoridades onde as vogais, sem acentos tônicos, se unem uma com as outras formando um som …
Toda energia

POESIA VISUAL: De Simmias a Joan Brossa, Uma Conexão com o Cotidiano

POESIA VISUAL: Uma Conexão Com o Cotidiano
O olhar e o falar nas diversas formas de Arte
    Quando a transmissão de conhecimento era basicamente oral, a realidade era uma só para todos. Se todos diziam as mesmas palavras, não havia diferença. As palavras tinham o status de realidade, desbancando a visão particular. Logo, a verdade era algo sobre o quê a maioria dizia as mesmas frases.
    A palavra é a ferramenta básica da poesia, mas isto não impede que no feitio do poema - transcrição de um indivíduo de como ele enxerga a realidade aparentemente única – os poetas agreguem materiais e/ou maneiras de se exprimir diversas, que conferem peculiaridades à poesia, sem perder a essência.
    Isso também acontece nas demais espécies de Arte, este amplo território do sensível, materializado em pintura, música, filme, teatro, literatura, escultura e as múltiplas formas de espetáculo. Há sempre um novo fazer artístico sendo agregado.
    Na Arte contemporânea o artista usufrui como nunca do direito…