Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2019

BOB DYLAN, BELA, BRISA E EU

Ontem à noite passei um aperto com dois terneiros que atravessaram pelo lado do mata-burro e foram comer grama dentro do pátio.

    Bob Dylan, um Lhasa metido a Pitbull deu o aviso e disparou porta afora. Mais atrapalhou que ajudou - eu tocava os terneiros de um lado, Bob espantava do outro.
          As duas cadelas Cimarrón, Bela (a mãe) e Brisa (a filha) estavam presas e latiam sem parar, querendo participar da festa.  Bela pulou a cerca e Brisa - que só tem tamanho, é nenê ainda - latia desesperada, presa no canil.
           Aí virou um gritedo só. Eu, as cadelas, o pequeno Bob e o terneirinho menor - já que o maior passou de volta pelo lado do mata-burro.
        Quando me dei por conta, a Bela estava grudada no pescoço do terneiro, encurralado num canto da horta. O bichinho corria por cima das verduras e a cadela, atrás. Terminaram com o canteiro de tomates.
        Consegui pegar a Bela pela coleira, mas foi um custo fazer a danada largar o coitadinho. Era uma mão agarrada num…